Pular para o conteúdo principal

Diretora do Theatro Pedro II, colunista Zezé Najem morre aos 61 anos

Vítima de câncer, ela tinha como lema ‘viver intensamente’


Morreu na manhã de domingo (4), aos 61 anos, a advogada e diretora do Theatro Dom Pedro II, Zezé Najem. Vítima de câncer, ela estava internada há uma semana no Hospital São Lucas. Há pouco mais de um ano, Zezé lutava contra um tumor no pâncreas.

Centenas de pessoas, entre familiares, amigos e colegas de trabalho, passaram pelo Velório Samaritano, nos Campos Elíseos, onde o corpo foi velado. Às 9 horas desta segunda (5), o corpo será levado a Jaboticabal, onde será cremado.

Conhecida por sua alegria, Zezé tinha como lema viver intensamente. "A Zezé, além de ser querida, era admirada, justa, correta e estava no auge de sua vida profissional e familiar. Era amigas de todos e viveu para ajudar os outros. Perdeu a mãe cedo e sempre disse saber que morreria cedo, por isso valorizava muito a vida, vivia intensamente", enfatizou o ex-marido, Carlos Elpídio.

Vários sites de notícia do país divulgaram o falecimento da diretora do Theatro Pedro II. Dezenas de mensagens foram postadas na página de Zezé no Facebook. "Perda para a área cultural, perda maior para quem convivia com ela. Para a gente, ela era símbolo de alegria. A palavra que mais define a Zezé é felicidade. Era extremamente feliz", frisou a secretária de Cultura, Adriana Silva.

Perfil
Zezé nasceu em Monte Azul Paulista, em 1951. Em 1975, formou-se em Direito pela Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto). Atualmente, além de integrar a diretoria do Theatro Dom Pedro II, Zezé era voluntária da Fundação Feira do Livro e apresentadora de televisão.
 Zeze e Luciana Sensino








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aznavour em fotos- álbum pessoal. O mundo perde seu maior cantor contemporâneo.

Conheci Charles Aznavour desde sempre. O primeiro show onde o ví ao vivo foi na inauguração da boate Régine's de Naji Nahas e Régine Zylberberg dia 31 de março de 1981. Aos 18 anos , não podia acreditar que o maior dos maiores estava cantando ali na minha frente, aquelas canções quase "sagradas". Dai para frente nunca deixei de ver Aznavour. Shows, temporadas anuais no Brasil, festas particulares até. Morreu de repente neste fatidico inicio de outubro de 2018 em plena atividade aos quase 95 anos. Nas últimas entrevistas já se sentia o peso da idade. Mesmo no último show em São Paulo no Espaço das Américas, um tremor nas mãos se acentuava. Mas a partir da terceira música, já se tranformava num gigante dos palcos. O que posso dizer? que daqui mil anos ele será ainda cantado e lembrado. Foi único. Conversei com ele no lobby do hotel Enjoy Conrad no Uruguai. Na despedida após a foto de praxe, me disse "Qualquer dia desses a gente se encontra de novo".
Merci x mil …

Régine. Régine's. Uma aventura no Brasil. As noites de São Paulo. Uma lenda da noite mundial. Régine's.

Régine Biografia Brasil 2016-2017 Renato Fernandes e Ovadia Saadia  <Glamurama- Revista JP> 
















"Aquárius" a história faiscante da discoteca mais incrível que já existiu no Brasil (SP)