Pular para o conteúdo principal

ZIPPO, UMA CHAMA QUE NUNCA APAGA

Com mais de 500 milhões de unidades vendidas em pouco mais de 80 anos, os icônicos Zippo há muito deixaram de ser sinônimo de isqueiro e se tornaram uma marca em expansão com equipamentos para uso outdoor, relógios, canetas e perfumes.
No Brasil, a marca vem registrando o mesmo perfil que em outros mercados mundiais, tendo crescido mais de 300% em unidades vendidas entre 2012 e 2013. “Zippo écolecionável, com modelos exclusivos e únicos, representa uma era que não volta mais e uma engenharia focada na perfeição e durabilidade”, explica Alexandre Lazzarou, diretor da marca no Brasil.
Criado em 1932, os isqueiros Zippo revolucionaram ao oferecer um desenho de fácil utilização que era praticamente imune às condições climáticas. O desenho era tão bem pensado que segue até os dias de hoje praticamente sem mudanças.
“O primeiro pedido de Zippo foi feito pela Bradford’sKendall Refining Company, que comprou 500 isqueiros com o logo da companhia, considerados por colecionadores como modelos raros por terem sido o primeiro modelo a ser usado também como propaganda de uma empresa”, diz Lazzarou.
Brasil
Assim  como em outros mercados no Mundo, Zippo se espalhou pelo país logo após a Segunda Guerra Mundial. Por muitas décadas a marca cresceu no mercado brasileiro através de importações diretas e de viajantes que adquiriam no exterior.
Presente oficialmente no mercado brasileiro desde o início dos anos 90, desde 2012 a Zippo é representada no paíspela Masterbrands Brasil, responsável pelo crescimento vertiginoso obtido no último ano através de uma agressiva e direta política de vendas e suporte ao pós-venda.
Segundo José Antonio Calcagniti, proprietário daMasterbrands Brasil, “Zippo é uma marca forte no Brasil e com potencial de expansão bem amplo, estamos muito satisfeitos com os resultados e temos certeza de que vamos crescer ainda mais”.

informações para imprensa
Maurico Kus / 11-98169-8181 / mkus@uol.com.br
Paulo Chaits Kus / 11-98155-8181 / paulokus@uol.com.br
Chaits Comunicações










Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aznavour em fotos- álbum pessoal. O mundo perde seu maior cantor contemporâneo.

Conheci Charles Aznavour desde sempre. O primeiro show onde o ví ao vivo foi na inauguração da boate Régine's de Naji Nahas e Régine Zylberberg dia 31 de março de 1981. Aos 18 anos , não podia acreditar que o maior dos maiores estava cantando ali na minha frente, aquelas canções quase "sagradas". Dai para frente nunca deixei de ver Aznavour. Shows, temporadas anuais no Brasil, festas particulares até. Morreu de repente neste fatidico inicio de outubro de 2018 em plena atividade aos quase 95 anos. Nas últimas entrevistas já se sentia o peso da idade. Mesmo no último show em São Paulo no Espaço das Américas, um tremor nas mãos se acentuava. Mas a partir da terceira música, já se tranformava num gigante dos palcos. O que posso dizer? que daqui mil anos ele será ainda cantado e lembrado. Foi único. Conversei com ele no lobby do hotel Enjoy Conrad no Uruguai. Na despedida após a foto de praxe, me disse "Qualquer dia desses a gente se encontra de novo".
Merci x mil …

Régine. Régine's. Uma aventura no Brasil. As noites de São Paulo. Uma lenda da noite mundial. Régine's.

Régine Biografia Brasil 2016-2017 Renato Fernandes e Ovadia Saadia  <Glamurama- Revista JP> 
















"Aquárius" a história faiscante da discoteca mais incrível que já existiu no Brasil (SP)