quarta-feira, março 13, 2013

Memória I


Byafra



Byafra (que até 1998 adotava o pseudônimo com 'i' - Biafra), nome artístico deMaurício Pinheiro Reis, (Niterói, 15 de outubro de 1957) é um cantor brasileiro.
Em 1970, enquanto o Brasil ainda comemorava o tricampeonato mundial de futebol, surgia na cidade de Niterói (Rio de Janeiro) a banda O Circo, que lançou Biafra como vocalista. Seus maiores sucessos, "Leão Ferido" (incluído no álbum Despertar - 1981) e "Sonho de Ícaro" (incluído no álbum Existe Uma Idéia - 1984), lhe renderam dois Discos de Ouro. Compositor de muitos temas de novelas, lançou 14 álbuns, que venderam mais de meio milhão de cópias.
Suas músicas também foram gravadas pelos maiores ídolos da MPB. Em 1998, antes do lançamento do álbum Ícaro, trocou o "i" pelo "y" em seu nome artístico (de Biafra para Byafra) para evitar aparecer na mesma página da guerra civil nigeriana nos sites de busca da internet. Atualmente ainda mora em sua cidade natal.

[editar]Biografia
O sobrado da Rua Raul Pompéia, 37, em Niterói – RJ, estremecia com as pancadas dos pedaços de cabo de vassoura sobre as latas de tinta vazias. No comando da percussão, Byafra, que naquela época, aos 12 anos de idade, era apenas Maurício, filho caçula de uma família de três irmãos. No segundo andar, sua avó, Dona Aura, tentava em vão dormir um pouco depois do almoço. Impossível: o ruído invadia o quarto apesar das portas e janelas fechadas. O pior é que essa cena se repetia todos os dias.
Mulher inteligente e de grande vocação diplomática, Dona Aura percebeu que o problema não se resolveria com uma simples bronca no neto ou com meia dúzia de gritos. Num belo dia, a senhora entra na garagem e interrompe o solo de percussão com um presente: uma bela flauta doce, acompanhada de um certificado de inscrição num curso de música, para aprender o instrumento. A única coisa que Dona Aura não sabia, é que além de resolver o seu problema, também estava proporcionando o início da carreira de um dos mais queridos artistas da música popular romântica do Brasil.
No dia em que Byafra nasceu, os americanos perdiam o sono com o Sputnik 1 (primeiro satélite feito pelo homem) lançado 11 dias antes pelos soviéticos e que sobrevoava Nova York seis vezes por dia. Três meses depois do nascimento do cantor, o clube que viria a ser uma de suas grandes paixões, o Botafogo, comemorava um dos maiores campeonatos de sua história, após golear o Fluminense na final por 6X2. No Planalto Central, o presidente Juscelino Kubitschek acelerava seus candangos para inaugurar Brasília dentro do prazo.
No mundo da música, Elvis Presley dava as cartas no cenário internacional e no Brasil, a Bossa Nova ainda engatinhava. Os fenômenos que iriam forjar a personalidade musical de Byafra ainda estavam em gestação. A salada formada por Beatles, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Pink Floyd, Fagner e Novos Baianos - algumas de suas principais influências – estava apenas sendo preparada para entrar no cardápio dos anos 60.
Desde que recebeu a flauta das mãos da Dona Aura, Byafra passou a se alimentar de música todos os dias. A vontade de cantar o levou ao Coral do Centro Educacional de Niterói, comandado pelo Maestro Hermano Soares de Sá. Logo, estaria embarcando com seus colegas de Coro para várias apresentações incluindo uma participação internacional no Festival de Aberdeen, na Escócia, para cantar peças de Villa-Lobos. Foi nessa época, por ser muito magro, que recebeu dos colegas de escola o apelido que viria a adotar como nome artístico
Na metade dos anos 70, a carreira musical já era seu principal projeto de vida. E foi nessa época que nasceu O Circo, banda que teve rápido sucesso em apresentações em Niterói e no interior do Estado do Rio. Como principal vocalista do grupo, Byafra começou a ganhar intimidade com os palcos. E foi acompanhado por seus colegas de O Circo, que Byafra entrou pela primeira vez no velho estúdio da CBS (hoje Sony Music), na Praça da República, centro do Rio de Janeiro, para gravar seu primeiro álbum, na época editado em LP e cassete.
Lançado em 1979, “Primeira Nuvem” foi rapidamente adotado pelas rádios de todo o Brasil. Uma das canções, composta pelo próprio Byafra e por Luiz Eduardo Farah, transformou-se em grande sucesso: “Helena”. Poucas semanas depois de introduzida nas rádios, essa faixa ganhou popularidade ainda maior ao ser incluída na trilha sonora da novela Marron Glacê, da Rede Globo. Esta mesma emissora iria, ao longo dos anos, solicitar mais sete músicas de Byafra para suas novelas (ver lista abaixo), identificando suas canções com vários personagens famosos.
Já em seu terceiro álbum – “Despertar” (1981) Byafra recebe seu primeiro Disco de Ouro ao superar 100 mil cópias vendidas, impulsionada pelo impressionante sucesso rediofônico de “Leão Ferido” (Byafra e Dalto), música mais executada pelas emissoras brasileiras no ano de seu lançamento e que mais tarde receberia novas interpretações de artistas como Simone.
Em 1984, mais um Disco de Ouro em seu álbum de estréia na gravadora Ariola, hoje com seu catálogo incorporado à Universal. Dessa vez, a música que explodiu nas paradas de todo o Brasil, foi “Sonho de Ícaro” (Piska e Cláudio Rabello).
Desde esse início vitorioso até hoje, Byafra jamais deixou de ter suas canções cantadas e lembradas por fãs de todas as gerações. São ao todo 12 álbuns inéditos e duas compilações que compõem um capítulo importante da Música Popular Brasileira. Comocompositor Byafra registrou sua obra na voz de grandes artistas como Roberto Carlos, Ney Matogrosso, Simone, Chitãozinho & Xororó, Chrystian & Ralf, Rosana, Xuxa, Angélica, Danilo Caymmi e muitos outros.
No dia 8 de setembro de 2009 foi lançado um vídeo no site youtube no qual Byafra é atingido involuntariamente por um parapente enquanto cantava para uma gravação de TV, a música de seu maior sucesso, Sonho de Ícaro, no Rio de Janeiro. Um episódio cômico da vida de Byafra, que encarou a situação com muito bom humor.
Discografia
Trilhas sonoras de telenovelas
·         1979 - "Helena" - Marron Glacê
·         1981 - "Vinho Antigo" - Jogo da Vida
·         1983 - "Aguardente" - Voltei Pra Você
·         1985 - "Seu Nome" - A Gata Comeu
·         1990 - "Machuca e Faz Feliz" - Barriga de Aluguel
·         1991 - "Te Amo" - Salomé
·         1993 - "Fantasia Real" - Mulheres de Areia
·         1996 - "Antes Que Eu Te Esqueça" - Quem é Você
·         2007 - "Sonho de Ícaro" - Caminhos do Coração
Álbuns
·         1979 - Primeira Nuvem - (Sony Music)
·         1980 - Biafra - (Sony Music)
·         1981 - Despertar - (Sony Music)
·         1982 - Menino - (Sony Music)
·         1984 - Existe Uma Idéia - (Universal)
·         1985 - O Sonho Deve Ser - (Universal)
·         1986 - Toque - (Universal)
·         1987 - Arca
·         1989 - Esfinge
·         1991 - Minha Vida de Artista - (Sony Music)
·         1992 - Mi Vida de Artista - en español - (Sony Music)
·         1994 - Infinito Amor - (Continental)
·         1998 - Ícaro
·         2002 - Segundas Intenções - (Green Songs)
Compilações
·         1994 - Biafra - (Universal)
·         1998 - Biafra – Série Brilhante - (Sony Music)

**************************************************************************************************************


19066- Altemar Dutra

Altemar Dutra de Oliveira (Aimorés, 6 de outubro de 1940  Nova Iorque, 9 de novembro de 1983) foi um cantor brasileiro.
Sucesso em toda a América Latina, interpretando obras como "Sentimental Demais", "O Trovador", "Brigas" e "Que Queres Tu de Mim", boa parte das canções de autoria da dupla Evaldo Gouveia e Jair Amorim, foi progressivamente destacando-se no gênero musical bolero. De fato, veio a ser aclamado como o "rei do bolero" no Brasil.

Biografia
Início da carreira
Iniciou sua carreira na Rádio Difusora de Colatina, no Espírito Santo, localidade para onde sua família havia se mudado, cantando uma música de Francisco Alves. Antes de completar sua maioridade, seguiu para o Rio de Janeiro, levando uma carta de apresentação para o compositor Jair Amorim, que o encaminhou a amigos do meio artístico. Tentou a sorte como crooner em boates e casas de espetáculos.
Primeiro disco
Gravou seu primeiro disco na Tiger, com "Saudade que vem" (Oldemar Magalhães e Célio Ferreira) e "Somente uma vez" (Luís Mergulhão e Roberto Moreira). Por volta de 1963, foi levado por Jair Amorim para o programa Boleros Dentro da Noite, na Rádio Mundial, e no mesmo ano Joãozinho, do Trio Irakitan, levou-o para a Odeon, onde foi contratado. Logo atingiu os primeiros lugares nas paradas de sucesso com Tudo de mim (Evaldo Gouveia e Jair Amorim), tornando-se conhecido em todo o Brasil.
Carreira internacional
Em 1964 gravou com grande sucesso Que queres tu de mim, O trovador, Sentimental demais e Somos iguais (todas de Evaldo Gouveia e Jair Amorim). Destacou-se também na América Latina, fazendo apresentações em vários países e gravando um LP com Lucho Gatica: El bolero se canta así. Com suas versões em espanhol, chegou a vender mais de 500 mil cópias na América Latina. Depois de ter dominado as paradas de sucesso locais, a partir de 1969 passou a conquistar fãs de origem latina nos Estados Unidos. Em pouco tempo tornou-se um dos mais populares cantores estrangeiros nos Estados Unidos. Apresentava um show para a comunidade latino-americana, no clube noturno "El Continente", em Nova Iorque, quando faleceu aos 43 anos, de derrame cerebral.
Foi casado com a cantora Marta Mendonça, tendo dois filhos, Deusa Dutra e Altemar Dutra Júnior, este também a seguir carreira artística.
Discografia
·         1963 - "Mensagem"
·         1963 - "A Grande Revelação"
·         1964 - "Sentimental Demais"
·         1964 - "Que Queres tu de Mim"
·         1965 - "Eu te Agradeço"
·         1966 - "Sinto que Te Amo"
·         1967 - "Dedicatória"
·         1969 - "O Trovador das Américas"
·         1970 - "O Romântico"
·         1971 - "Altemar Dutra"
·         1971 - "Companheiro"
·         1972 - "A Força do Amor"
·         1973 - "Altemar Dutra"
·         1974 - "Enamorado"
·         1975 - "Amor de Pobre"
·         1976 - "Amigos"
·         1977 - "Sempre Romântico"
·         1978 - "Mais Sentimental"
·         1979 - "Altemar Dutra"
·         1980 - "Especialmente pra Você"
·         1980 - "Siempre Romantico - 25 Boleros Inolvidables"
·         1981 - "Eu Nunca Mais vou te Esquecer"
·         1982 - "Estranho Amor"
·         1983 - "Inédito"
·         1984 - "Altemar Dutra"
·         1989 - "O Trovador das Américas"
·         1990 - "Especial - Altemar Dutra"
·         1992 - "Nunca mais vou te Esquecer"
·         1994 - "Meus Momentos - Altemar Dutra"
·         1997 - "Meus Momentos Vol.II - Altemar Dutra"
·         2000 - "Bis- Altemar Dutra"

Curiosidades
·         Paulo Sérgio aparece como calouro do Chacrinha no filme Na Onda do Iê-iê-iê de 1966, interpretando a canção Sentimental Demais.

*************************************************************************************



 Ted Boy Marino


Mario Marino, conhecido como Ted Boy Marino (Fuscaldo Marina, 18 de outubro de1939  Rio de Janeiro, 27 de setembro de 2012) , foi um ator e lutador de luta-livre profissional ítalo-brasileiro.

Biografia
Ted Boy Marino nasceu em Fuscaldo Marina, na Calábria, região ao sul da Itália. Foi para Buenos Aires em 1953, no porão de um navio, aos 12 anos de idade, com os pais e mais 5 irmãos. Trabalhava como sapateiro em Buenos Aires, mas aproveitava o tempo livre para treinar luta livre e praticar halterofilismo. Em 1962 já estava participando de programas de Telecatch nos canais 9 de Buenos Aires e 12 de Montevidéu.
Em 1965, Marino chegou ao Brasil. Pouco tempo depois, foi contratado como lutador de Telecatch pela TV Excelsior, onde fez grande sucesso. Nos ringues de luta-livre, ao lado de lutadores como Tigre Paraguaio, Electra, Alex e outros, derrotava vilões como Aquiles, Verdugo, Rasputim Barba Vermelha, El Chasques e Múmia.
Nessa época, também participou do programa "Os Adoráveis Trapalhões", pela mesma TV Excelsior .

A diretoria da emissora mandou Wilton Franco (diretor) fazer um programa com ele e mais o cantor Wanderley Cardoso, ídolo da juventude. Contudo, Wilton precisava de alguém para segurar o texto e escolheu para isto o cantor Ivon Cury, além de escalar Renato Aragão, para fazer o público rir. Daí surgiu o quarteto, cujo programa atingia entre 50 e 60 pontos de ibope. Em 1968 Aragão e Ted Boy Marino estrelaram o filmeDois na Lona, no qual Ted vive um lutador que disputa o campeonato brasileiro e enfrenta na final o sanguinário Lobo (vivido por Roberto Guilherme, que até hoje trabalha nos programas de Aragão, sendo o papel mais comum o de Sargento Pincel).

Na TV Globo, Ted participou de quatro programas que apareciam quase que diariamente na telinha. De segunda a sexta tinha o Sessão Zás Trás, na parte da tarde, onde apresentava desenhos animados. De segunda a sexta, antes do Jornal Nacional, entrava a novelinha Orion IV x Ted Boy Marino, onde o protagonista combatia vilões. Nas terças, era a vez do Oh, que Delícia de Show, um programa de variedades onde Marino apresentava cantores e números circenses em companhia da atriz Célia Biar. Já aos sábados era exibido o Telecatch, no horário nobre das 9 às 10 da noite e também aos domingos (em São Paulo, ao vivo).

A partir da década de 1980, com o declínio do gênero Telecatch, Marino atuou como coadjuvante no programa Os Trapalhões, geralmente no papel de vilão, além de fazer pontas em programas humorísticos como a Escolinha do Professor Raimundo. Também se apresentou em clubes e teatros do interior.
Aposentado, Ted Boy Marino morava no bairro do Leme, Rio de Janeiro, e podia ser visto frequentemente na orla, com seus amigos do vôlei de praia.
Faleceu no dia 27 de setembro de 2012, aos 72 anos de idade, vítima de uma parada cardíaca enquanto lhe era realizada uma cirurgiade emergência; pouco antes ele sofreu uma crise vascular logo pela manhã. A operação foi realizada para tentar reverter o quadro, mas não se obteve sucesso.
Filmografia
·         1983 - Os Três Palhaços e o Menino
·         1982 - Os Paspalhões em Pinóquio 2000
·         1967 - Dois na Lona
************************************************************************************


Nenhum comentário:

Postar um comentário